TERAPIA DO RISO

By Novembro 13, 2017#CasaDeAraruama
Terapia do Riso

TERAPIA DO RISO

Minha avó costumava dizer: rir é melhor remédio para os males da vida. Acredito que essa seja uma máxima de todas as avós e mães, uma espécie de sabedoria milenar. Nos últimos anos, a ciência tem comprovado isso na prática por meio de vários testes. Uma pesquisa finlandesa publicada recentemente no Journal of Neuroscience, por exemplo, aferiu a liberação de opioides (substâncias que provocam sensação de relaxamento e prazer) pelo cérebro de voluntários que assistiram, durante 30 minutos, a várias cenas de comédia ao lado de dois amigos próximos. O mesmo teste foi aplicado nas mesmas pessoas após meia hora de silêncio, sozinhos em um quarto.

O resultado: rir em grupo aumentou significativamente os níveis de opioides dos voluntários, produzindo uma sensação de bem-estar, diversão e paz interior. Os pesquisadores também identificaram que, quanto mais intensas as risadas, mais fortes são esses efeitos no cérebro. O estudo demonstrou ainda que o cérebro associa a pessoa com quem rimos (ou que nos fez rir) ao resultado prazeroso – por isso lembramos sempre com prazer e saudade das pessoas que nos levam ao riso, à alegria.

Eu sempre fui uma pessoa de bom humor, a “palhaça” da turma, aquela que naturalmente fazia a turma rir. Isso sempre foi um prazer pra mim, uma verdadeira realização, e eu acabei levando essa característica para a minha vida profissional. Não à toa, os meus personagens mais marcantes têm uma forte ligação com o humor, caso de Ivonete, presente que o querido Walcyr Carrasco me deu na novela Caras & Bocas, #naomeabsorvafabiano, e a Suzi, personagem do meu monólogo “De perto ela não é normal”, há 15 anos em cartaz.

Ser uma porta-voz do riso é uma das minhas grandes alegrias enquanto pessoa e profissional. Ouvir o público me dizendo que saiu do meu espetáculo mais leves e com um olhar positivo sobre a vida é a minha maior realização. Vamos rir, mais, Brasil! Porque acredito que rir não apenas nos ajuda a enfrentar os problemas do dia a dia e deixa tudo mais leve, como também dá sentido à vida, afinal, não viemos a esse mundo a passeio, mas para arrasar, não é mesmo? #nascipraserfeliz. Ah, claro, rir é bom também porque faz bem à pele e à saúde, confirmam os cientistas. Mas disso, como disse no início, eu nunca duvidei  #vovojasabia.

Leave a Reply