EMPREENDER É PRECISO

By November 21, 2017#ChegarLa
Empreender é preciso

EMPREENDER É PRECISO

No último domingo (19), foi celebrado o Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino, um tema que, como vocês sabem, eu considero extremamente importante. De acordo com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), o empreendedorismo feminino no Brasil cresceu 34% nos últimos 14 anos. Somamos, atualmente, mais de 8 milhões de empreendedoras no Brasil e somos responsáveis por 51% dos novos negócios abertos em nosso pais (já empreendemos mais que os homens, mulherada!).

Abrir um negócio próprio no Brasil de modo geral não é fácil, mas empreender quando se é mulher é ainda mais difícil. “O preconceito ainda é um tema dominante na vida das mulheres porque a sociedade não acredita que homens e mulheres são iguais, mas nós somos”, afirma Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil.

É inacreditável, mas as mulheres empreendedoras ainda precisam superar problemas como investimento desigual, desestímulos e sexismo para prosperarem em seus próprios negócios. Segundo dados do SEBRAE, apenas 10% das empresas mundiais lideradas por mulheres recebem investimento externo. Estima-se que essa desigualdade de investimento prejudique a geração de seis milhões de empregos em apenas cinco anos.

Outro grande obstáculo para o empreendedorismo feminino é o desestímulo que elas herdam do mundo empresarial, que não reconhece ou estimula o desenvolvimento de suas habilidades enquanto empreendedoras, herança direta do machismo. Ainda de acordo com o SEBRAE, 43% das mulheres deixam de abrir seus próprios negócios por medo do fracasso.

O empreendedorismo pode surgir por motivos distintos, como o desejo de se manter ativa no mercado após a maternidade, que ainda é um tabu em boa parte das grandes empresas; uma alternativa à crise econômica e a possibilidade de ter mais flexibilidade de horário para realizar outras atividades.

É lindo constatar que, apesar das adversidades, as mulheres estão tomando o controle de suas vidas e se lançando a novos desafios, não apenas aqui no Brasil, como no mundo inteiro. O projeto The Girls On The Road (http://www.thegirlsontheroad.com/), das empreendedoras brasileiras Taciana Mello e Fernanda Moura, por exemplo, entrevistou empreendedoras de 20 países para trazer histórias que possam inspirar e mostrar para outras mulheres que elas também podem fazer o mesmo #yeswecan. O caminho ainda é bem longo, mas acredito que, cada vez mais, estamos avançando nesse sentido. O mundo é nosso, meninas. E isso é só começo!

Leave a Reply