A LUTA POR UMA SOCIEDADE IGUALITÁRIA


By March 28, 2018#ChegarLa
A LUTA POR UMA SOCIEDADE IGUALITÁRIA


A LUTA POR UMA SOCIEDADE IGUALITÁRIA

Ao longo de muitos anos, as mulheres tem batalhado para conquistar- de forma lenta e gradativa- seus direitos. Muitos foram conquistados, mas sabemos que a construção da sociedade igualitária que tanto almejamos é algo que demanda um enorme trabalho de conscientização e apoio, principalmente, entre as mulheres. A organização sem fins lucrativos Casa da Mulher Trabalhadora (CAMTRA) é um exemplo de dedicação e luta feminina.

Fundada em 1997, no Rio de Janeiro, a organização feminista CAMTRA surgiu com a ideia de construir uma sociedade justa e igualitária por meio de incentivos a mulheres, ajudando-as a promover seus direitos e fortalecer suas autonomias. Pensando nisso, a CAMTRA investe no trabalho junto às mulheres pobres, além de grupos comunitários e coletivos de mulheres.

A CAMTRA trabalha com quatro principais temas que considera essenciais para a luta feminista – direitos sexuais e direitos reprodutivos; educação para autonomia; trabalho das mulheres; e violência contra as mulheres.

O pleno exercício dos direitos sexuais e reprodutivos pelas mulheres é fundamental para assegurar seus direitos humanos, porém isso está sendo impedido pelo alto índice de conservadorismo e a tutela do corpo das mulheres na concepção das políticas públicas. Por isso, a CAMTRA luta pelo direito da mulher de ter autonomia sobre o seu próprio corpo, sendo livre para escolher reproduzir ou não, além de buscar aumentar o acesso às informações e educação sexual, aos métodos contraceptivos, a vivência da sexualidade livre de discriminação e violência.

Outro tópico trabalhado pela organização é o incentivo à educação (não apenas formal, mas também popular, valorizando os saberes prévios do povo e suas realidades culturais) como forma de disseminação de valores sociais no combate às discriminações, em especial as de gênero, raça/etnia e orientação sexual.

A valorização do trabalho das mulheres é outra frente por qual a CAMTRA luta. Culturalmente responsabilizadas pelos serviços de casa (trabalho socialmente desvalorizado e invisibilizado), as mulheres, principalmente as negras, enfrentam maior dificuldade na hora de se inserirem no mercado de trabalho remunerado, ficando com funções mais precarizadas e mal remuneradas, com menos acesso a direitos. A organização luta para acabar com isso, disseminando informações sobre direitos e visibilidade das condições de trabalho das mulheres e sua autonomia econômica.
 Além disso, a Casa da Mulher Trabalhadora junta-se aos esforços de luta de combate a violência contra as mulheres, que é uma das formas mais graves de desigualdade entre homens e mulheres.

Com um trabalho amplo e balanceado, a organização sem fins lucrativos trabalha há mais de 20 anos para melhorar a autonomia e empoderamento feminino em comunidades do Rio de Janeiro. Infelizmente, ainda não alcançamos uma sociedade totalmente justa e igualitária, mas trabalhos como esse que nos fazem acreditar que estamos cada vez mais próximos do nosso objetivo final!

 

Leave a Reply